Por que devo fazer a gestão de manutenção da minha frota?

March 16, 2018

Manutenção dos veículos e consumo de combustível são dois fatores que representam significativa parcela dos custos operacionais com frotas próprias. Além disso, a manutenção do veículo está diretamente relacionada com a sua vida útil e disponibilidade veicular, consequentemente com a capacidade da empresa de prestar serviço e atender os seus clientes adequadamente. Desta forma, o controle completo do histórico de manutenções e seu planejamento adequado são fatores competitivos fundamentais que permite aumentar a produtividade da frota.

 

OS DIFERENTES TIPOS DE MANUTENÇÃO

 

1. MANUTENÇÃO CORRETIVA

 

A manutenção corretiva ocorre após a identificação da falha de uma peça ou sistema do veículo, impossibilitando o mesmo de operar. Não há planejamento de datas para a realização deste tipo de manutenção, uma vez que, geralmente ocorrem em situações em que o veículo não foi devidamente monitorado e portanto, não se esperava a falha. Além disso, a falha inesperada de uma peça pode causar o atraso de uma entrega, necessidade de cancelamento de um serviço ou um acidente com o veículo. É fundamental evitar a necessidade de realizar este tipo de manutenção, pois ela implica na indisponibilidade do veículo, geralmente tem custo superior pois, envolve maior tempo da mão de obra e compra de material para a substituição do componente quebrado.

 

2. MANUTENÇÃO PREVENTIVA

 

A manutenção preventiva tem como objetivo evitar que os componentes do veículo sofram falhas inesperadas que o impossibilitem de rodar. Corrigem problemas operacionais antes que estes provoquem falhas graves reduzindo custos com substituição de peças e indisponibilidade veicular. Deve ser planejada e realizada periodicamente para que o veículo esteja sempre em condições adequadas de funcionamento. Um exemplo importante é a realização periódica da revisão, acompanhamento constante do estado dos pneus, do óleo e do consumo de combustível.

Para realizar este tipo de manutenção é importante ter um bom planejamento e histórico de manutenções como troca de peças, quilometragem dos pneus, troca de óleo e histórico do consumo de combustível, para cada veículo. Esses dados ajudam a aumentar a vida útil do veículo, permite a comparação entre diversos modelos e contribuem para prever a necessidade de troca de peças. Além disso, esse controle histórico ajuda a controlar os custos com a manutenção.

 

3. MANUTENÇÃO PREDITIVA

 

A manutenção preditiva indica as condições reais de operação do veículo com nos parâmetros obtidos a partir de dados de sensores e de telemetria. Com essas informações é possível prever o tempo de vida útil de peças e prever a necessidade de substituí-las, bem como avaliar o seu uso correto.

Neste caso pessoal com maior treinamento e conhecimento e equipamento para a aquisição de dados e avaliação das condições de funcionamento são fundamentais.

A manutenção preditiva, após a análise das condições de operação, adota dois procedimentos para reduzir os problemas observados: faz um diagnóstico e uma análise de tendência. Com base nos parâmetros operacionais é identificada a necessidade de troca de peças e auxilia a manutenção preventiva, sem necessidade de causar indisponibilidade do veículo.

CONCLUSÃO

 

É preciso ter uma rotina rigorosa de controle da manutenção dos veículos e deve ser feita a inspeção diária do seu estado a fim de garantir o pleno funcionamento. Manutenções corretivas inesperadas alteram a jornada de trabalho, causam gasto com materiais e afetam diretamente a disponibilidade e produtividade da frota.

Para auxiliar gestores sistema de telemetria que enviam dados relativos a operação do veículo, modo de condução, consumo de combustível e rotas viajadas são fundamentais para fornecer dados que permitam a correta avaliação da situação da frota. Além disso, plataformas de gestão de manutenção para cadastro de troca de pneus, filtros de óleo de outras peças, bem como dos custo destas trocas contribuem para o gerenciamento.  É importante ter os dados concretos disponíveis para que o gestor possa tomar a melhor decisão e desenvolver melhor o planejamento.

 

Henrique Lima é Cofundador e Diretor Financeiro da Interakt com formação acadêmica na Universidade Federal da Bahia e University of Sheffield e experiência profissional na Bosch. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Como funcionam os rastreadores veiculares?

January 19, 2018

1/2
Please reload

Posts Recentes

September 28, 2018

Please reload

Arquivo